Está de brincadeira, pô!

09/09/2019

DESVIO
Motoristas usam estrada alternativa para fugir de pedágio. Para evitar "facada", o povo está enfiando o carro na terra.
Para quem não tem condições de pagar todos os dias R$ 18,20 no pedágio instalado na Rodovia Brigadeiro Faria Lima (SP 326), a solução é a rota alternativa pela Estrada Municipal CLN 080, mais conhecida como Estrada Boiadeira.
Munícipes colinenses que usam essa rota todos os dias reclamam. Afinal, dirigir pela estrada boiadeira significa um enorme transtorno para motoristas. Sem nenhum sinal de manutenção, essa estrada encontra-se com o leito carroçável em péssima condição de trafego. 
E parece que quanto mais o munícipe reclama, pior fica. O poder público parece que pegou birra disso e não move um dedo ao menos para tentar deixar a estrada em condições melhores.
Nossa reportagem percorreu o trecho e conversou com alguns motoristas que usavam o desvio. 
A enfermeira Paula, que trabalha em Barretos e usa essa rota, é enfática: “Me sinto abandonada pelo poder público. Na hora de nos cobrar, pedir votos, eles arrumam uma forma de bater na nossa porta. Dizem que precisam do nosso voto para melhorar isso, aquilo e acaba não melhorando nada. Aliás, se melhorou foi para eles, porque para gente não. Meu carro tem 3 anos, parece que tem dez”. 
Para um mecânico (que não quis se identificar por medo de ser perseguido pelo poder público): “Não tem prefeito nessa cidade. Se tivesse essa estrada estaria pronta. A população está esquecida. Eles têm dinheiro para pagar pedágio, deveriam passar por aqui todos os dias, igual nós, com carros populares também, porque de camionete até eu. Ano que vem vão pedir meu voto, vou falar a verdade com ele, o meu voto você não tem”.
Estradas em péssimas condições contribuem para a redução da vida útil de um automóvel e provocam complicações, como a nuvem de poeira levantada por conta da terra solta entopem os filtros de ar, o que acaba exigindo trocas mais constantes, terreno acidentado promove desgaste prematuro dos pneus, problemas na suspensão e desgaste, e quebra da suspensão ocasionam o desalinhamento do veículo. Sem falar que o motorista está mais suscetível ao perigo de sofrer assaltos, por exemplo.
Como você pode perceber, evitar pedágios por meio das estradas vicinais possivelmente não é a melhor manobra para o seu dia a dia. 
Que cada munícipe pudesse realmente fazer uma reavaliação sobre tudo isso. E, devolver nas urnas o mesmo pouco caso que recebem. Aliás, entre a urna eletrônica e o eleitor, existe apenas a consciência de um voto. Voto que pode mudar uma cidade ou deixá-la na mesma, do jeito que Colina se encontra, parada no tempo.
O trabalhador colinense necessita de uma prestação de serviços públicos digna pelos tributos que pagamos. Afinal são mais de 320 milhões do orçamento público para os quatros anos da administração 2017/2020. Acorda povo! Ainda há tempo.

 

Please reload

O POVO TV

siga o Jornal O POVO
  • Facebook B&W
 POSTS recentes: 
Please reload

 procurar por TAGS: 
Please reload

Lilia Cristina da Silva Anastácio Edição de Jornais - ME. | Av. Santos Dumont, nº 1833 | Bairro Aeroporto | Barretos – SP | CEP 14783-115 | Tel: 17 3323.4960

© 2020 - Jornal O Povo Online - Todos os direitos reservados. Max Neves

  • Facebook B&W