Saúde

Região de Barretos tem o maior crescimento de óbitos por coronavírus do estado, no mês de maio



A região de Barretos mostrou o maior aumento porcentual no número de óbitos por coronavírus no mês de maio. O índice cresceu 267% entre o dia 30 de abril até o dia 18 deste mês.

Também entre 30 de abril e 18 de maio, o ritmo do número de mortes provocadas pelo coronavírus em seis regiões administrativas do interior e litoral foi proporcionalmente maior que o da Grande São Paulo, que registrou 104% de elevação nos óbitos.

Os índices foram maiores em Barretos (267%), Araçatuba (260%), São José do Rio Preto (167%), Itapeva (150%), Baixada Santista (121%) e Bauru (107%). As regiões com aumentos de mortes por COVID-19 em ritmo menor que o da Grande São Paulo foram Campinas (90%), São José dos Campos (84%), Presidente Prudente (80%), Sorocaba (80%), Marília (71%), Franca (67%), Ribeirão Preto (55%), Araraquara (33%) e Vale do Ribeira (33%).

A aceleração da COVID-19 para além da região metropolitana da capital foi novamente confirmada em levantamento da Secretaria de Estado da Saúde avalizado pelo Centro de Contingência do coronavírus em São Paulo. No último dia 4, os registros do Governo do Estado já apontavam que o avanço da doença no interior e litoral era quatro vezes mais rápido que na Grande São Paulo.

No início de abril, as 606 cidades fora da Grande São Paulo - que abrange a capital e outros 38 municípios - somavam 129 casos confirmados e fecharam o mês com 4.389 infectados, com aumento de 3.302% no mês. No mesmo período, a região metropolitana da capital passou de 2.793 casos para 24.309, com 770% de avanço do coronavírus.

Em maio, a tendência de expansão acelerada do coronavírus no interior e no litoral foi confirmada em apresentação conduzida pelo Secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi. O crescimento proporcional de casos entre 30 de abril e 18 de maio mostrou muito mais força fora da Grande São Paulo, que registrou 108% no período.

Nas demais regiões administrativas, a taxa de aumento de casos foi maior: Presidente Prudente (379%), São José do Rio Preto (309%), Ribeirão Preto (234%), Sorocaba (227%), Bauru (210%), Franca (197%), Vale do Ribeira (185%), Barretos (184%), São José dos Campos (178%), Marília (173%), Campinas (170%), Itapeva (167%), Araraquara (167%), Baixada Santista (156%) e Araçatuba (138%).
 


Mais sobre Saúde