Polícia

Polícia deflagra operação contra grupo investigado por furtar e adulterar carros em Barretos



A Polícia Civil cumpre nesta segunda-feira (26) 54 mandados em uma operação contra uma quadrilha especializada em furto e adulteração de carros em Barretos.

Ao todo, 90 agentes de diferentes repartições da região cumprem 20 ordens de prisão e 34 de busca e apreensão pela força-tarefa denominada "Desmonte", com a participação de 90 agentes.

As diligências, segundo as autoridades, são realizadas em sete cidades paulistas - Franca, Guaíra, Ituverava, Jardinópolis, Miguelópolis, Ribeirão Preto e Sales Oliveira - além de Sacramento (MG).

Até o início da tarde, 14 pessoas tinham sido presas e seis permaneciam foragidas.

Durante a operação, as equipes encontraram um "cemitério" na zona rural de Guaíra (SP), usado, segundo as investigações, para retirar peças de carros furtados.

Os suspeitos devem responder por organização criminosa, furto, receptação e adulteração de sinal identificador de veículo automotor.

Operação 'Desmonte'

As investigações iniciadas há um ano apontaram para a existência de uma organização criminosa que não só furtava automóveis, como também adulterava veículos para conseguir vendê-los.

Segundo a força-tarefa, os criminosos primeiro compravam, por preço mais baixos, veículos danificados por acidentes ou queimados, mas sem problemas de registro de chassi ou motor.

Em seguida, furtavam ou encomendavam o furto de automóveis dos mesmos modelos. De acordo com os investigadores, pelo menos nove foram levados em Barretos entre outubro do ano passado e janeiro deste ano.

A maior parte deles foi levada das proximidades do Hospital de Amor, segundo o delegado Rafael Domingos Faria. "É uma região em que há grande circulação de pessoas e de veículos de fora e não há estacionamentos particulares suficientes, e isso acaba facilitando a ação dos criminosos", diz.

Na sequência, os ladrões desmontavam esses carros furtados e colocavam as peças deles nos automóveis que haviam adquirido. Um "cemitério" de veículos na zona rural de Guaíra é apontado como o local em que os criminosos agiam para praticar a adulteração.

"Os carros localizados nesse cemitério na cidade de Guaíra eram, em sua maioria, furtados na cidade de Barretos. Nós identificamos um veículo de uma outra cidade, de Aramina, para onde vamos encaminhar cópia das investigações para que eles prossigam por lá", afirma o delegado.

Com as peças, o grupo conseguia recuperar os veículos que não tinham restrições legais para, assim, vendê-los por preços até oito vezes maiores do que os valores que haviam desembolsado, de acordo com a Polícia Civil.


Mais sobre Polícia