Saúde

Minerva Foods aplica teste de coronavírus em funcionários da unidade de Barretos



Líder em exportação de carne bovina in natura e seus derivados na América do Sul, a Minerva Foods realizou nos dias 25 e 26 de maio a aplicação de testes rápidos de diagnóstico do novo coronavírus em 1140 profissionais, ou 100% de seu quadro de colaboradores da unidade de Barretos/SP, que atuam na planta frigorífica, no escritório corporativo e na operação da Minerva Fine Foods, voltada ao segmento de processados.

A iniciativa, realizada de forma proativa e preventiva pela empresa, faz parte do plano de contingência da Minerva Foods para mitigar os impactos da COVID-19, proteger a saúde de seus colaboradores e garantir a segurança da produção, ao mesmo tempo em que a Companhia mantém a operação em andamento para assegurar o abastecimento de alimentos à população. A testagem em massa na unidade de Barretos/SP contou com o acompanhamento de profissionais da Secretaria Municipal de Saúde, e foi adotada considerando o alto volume de casos confirmados de COVID-19 na região nos últimos dias.

Para a Minerva Foods, uma vez que os profissionais que atuam na unidade não apresentam hoje sintomas da doença, a testagem rápida é o melhor método para preservar a saúde de seus funcionários. Do total de colaboradores da unidade, cerca de 1%, o que equivale a 14 profissionais, apresentou resultado positivo no teste rápido de diagnóstico do novo coronavírus. Com isso, seguindo as orientações do Ministério da Saúde, esses colaboradores passaram a ser tratados como casos suspeitos e novos testes serão realizados para comprovação final. Ressaltamos que esses profissionais não apresentam sintomas da doença, porém, foram afastados de suas atividades e estão em monitoramento pela Companhia.  Todas essas iniciativas partiram da empresa e foram imediatamente comunicadas à Secretaria de Saúde Municipal de Barretos/SP, que apoiou a equipe da Minerva Foods com a disponibilização de profissionais especializados para a aplicação dos testes.

Desde o avanço da pandemia de COVID-19 no Brasil, em meados de março, a Companhia vem operando com um rigoroso Plano de Contingência, que contempla uma série de medidas, entre as quais:

  • Aquisição de testes de diagnóstico rápido do novo coronavírus para aplicação nos funcionários; 
  • Monitoramento da temperatura corporal na entrada do transporte fornecido pela empresa e na entrada das unidades;
  • Antecipação da campanha de vacinação tetravalente contra a gripe para o mês de abril; 
  • Organização da produção, de forma a garantir o distanciamento seguro entre os funcionários e evitar aglomerações; 
  • Instalação de barreiras de proteção entre postos de trabalho;
  • Afastamento dos trabalhadores do grupo de risco;
  • Redução no número de trabalhadores nos transportes disponibilizados pela empresa;
  • Fornecimento e uso obrigatório de máscaras para todos os funcionários; 
  • Disponibilização de recipientes de álcool em gel em todas as unidades;
  • Intensa higienização dos postos de trabalho e pontos de contato coletivo;
  • Controle de entrada e saída nas plantas, nos refeitórios e em outros ambientes, para evitar aglomerações; entre outras iniciativas.

Considerando que a produção de alimentos é uma atividade essencial, a Minerva Foods mantém a operação em andamento em suas unidades, sob rigoroso protocolo de segurança. Dada a importância do controle na produção de alimentos, de acordo com as normas estabelecidas, a empresa sempre manteve, em todas as suas operações, os mais altos padrões de controle sanitário e de higiene na produção de seus produtos. “Temos um processo rigoroso de fabricação, procedimentos sanitários e de higiene operacionais, biossegurança e proteção contra a contaminação cruzada em todas as nossas plantas”, afirma Luís Ricardo Alves Luz, Diretor de Operações da Minerva Foods no Brasil. “Como a melhor medida é a prevenção, reforçamos nosso compromisso com a saúde de nossos colaboradores, de seus familiares e das comunidades onde atuamos, permanecendo atentos aos protocolos estabelecidos pelas autoridades”, finaliza o executivo.


Mais sobre Saúde