Polícia

Estudante de Bebedouro desaparece na Alemanha; autoridades investigam



A polícia alemã investiga o desaparecimento da estudante brasileira Lívia Perrone Medina, de 27 anos.

A jovem de Bebedouro (SP), que se mudou em 2017 para Aachen, cidade próxima da fronteira com a Bélgica, para cursar um mestrado em sustentabilidade na RWTH Aachen University, foi vista pelos amigos pela última vez no sábado (27) depois de embarcar em um trem com destino a Hamm por volta das 9h30.

O Ministério das Relações Exteriores informou que presta assistência consular de forma legal e material à família da estudante por meio do Consulado-geral em Frankfurt.

A investigação foi tornada pública na imprensa alemã na segunda-feira (29) depois que apurações preliminares não levaram ao paradeiro da estudante.

A mãe de Lívia, Maria Rita Perrone, disse que Lívia foi vista pela última vez pegando um trem em direção a Colônia, mas apurou que ela não desceu naquela estação como se pensava até então e que ela pode ter sido vista em ao menos quatro cidades diferentes - Düsseldorf, Stuttgart, Bodenheim e Leverkusen.

"A polícia averiguou as câmeras da estação e ela não aparece nas filmagens", informou.

Maria Rita afirmou também que o último saque em dinheiro feito na conta da filha foi naquele sábado e que a polícia alemã monitora as movimentações financeiras dela. Disse ainda que as autoridades conseguiram ter acesso ao celular e ao laptop da estudante para auxiliar nas investigações.

Um familiar da jovem viajou para a Alemanha para acompanhar o caso.

"A polícia está empenhada em encontrá-la e estamos recebendo assistência do consulado de diversas formas, inclusive para permissão de nossa entrada na Alemanha", disse a mãe.

Maria Rita também fez um apelo para que informações que ajudem a identificar o paradeiro de Lívia sejam concentradas nas autoridades alemãs pelo número 110.

"A polícia alemã está investigando o caso e temos plena confiança em seu trabalho. No momento a informação que temos é que ela não desceu em Colônia como imaginávamos. Mesmo assim, estamos com muita esperança e temos muita fé que a encontraremos o quanto antes! São tantas pessoas mobilizadas para encontrá-la, tanto carinho, solidariedade que não conseguimos descrever o que sentimos, apenas agradecer imensamente. Acreditamos que essa corrente de amor é essencial para trazer ela de volta logo", publicou.


Mais sobre Polícia